HELSINKI, a conchinha.

Grande Prêmio de Helsinki de Fórmula Um, eu via o anúncio na TV todos os anos. Como sempre gostei de geografia, procurei no meu antigo globo terrestre onde ficava. Era bem ali, entre a Suécia e a U.R.S.S. – sim, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, porque eu cresci no ápice da Guerra Fria. Isso era o máximo que eu sabia sobre a Finlândia até a Nokia surgir com os celulares. A Finlândia é um país nórdico, mas não é escandinavo, pois não está na península. Parece que o Papai Noel mora no norte do país, numa região chamada Lapônia… 🙂

Alone Traveller Friendly? Sim.
Mas o transporte público, apesar de bom, me deixou confusa. Talvez porque eu não esteja acostumada ao idioma.

A minha impressão.
. A cidade.

IMG_1924

Marina na área de Eira.

De todos os lugares que eu visitei, Helsinki foi a cidade que mais me lembrou cidades do interior. Não que não tenha edifícios modernos, mas acho que a parte histórica e seus monumentos são menores comparados aos outros países e isso deixa a cidade mais acolhedora.
Uma coisa que me chamou a atenção foi a quantidade de moscas – por mais limpa que a cidade seja – não sei se pela proximidade do Mar Báltico. Por incrível que pareça, as moscas parecem incomodar os finlandeses menos que as gaivotas. Eles são taxativos quanto a alimentar estas aves. No mercado aberto de Kauppatori, há placas avisando que as gaivotas roubam comida das mãos das pessoas. Eu não vi nenhuma gaivota-ladra, mas na Finlândia, faça como os finlandeses.
. Os Finlandeses.
Dizem que os finlandeses não fazem amigos facilmente, mas não se incomodam em

IMG_1840

Berries no mercado de Kauppatori

dividir a sauna com um estranho nu. Eu não fui a nenhuma sauna, mas isso deve ser verdade. Achei eles mais fechados que seus vizinhos escandinavos; também são bem “tecnológicos”.
Mesmo assim,  o fluxo de estrangeiros é bem maior do que eu esperava, ainda mais por ser um país bem no “meio do caminho” entre Suécia e Rússia. Uma coisa que eu relevei no início, mas depois fiz igual: ninguém segura a porta para o próximo entrar. Não acho que seja falta de educação, está mais para “eu abri, abra você também”, mas se você costuma entrar no vácuo, cuidado para não levar uma portada na cara.
. O idioma.
Finlandês é muito diferente dos outros idiomas nórdicos; é de origem fino-húngara, ao contrário dos outros, que têm origem anglo-germânica. Eu nunca vi um idioma tão cheio de As, Us e Ks na minha vida. O Inglês é a segunda língua, e a maioria ainda fala Sueco, Russo, Sami.
Hyvää huomenta para bom dia se for de manhã e hyvää päivää do meio-dia até umas três da tarde – o hyvää se pronuncia como um assovio então, melhor usar um simples hei. Obrigado é kiitos, parece nome de salgadinho. No supermercado eu também sofri, pois os rótulos são em finlandês, russo, sami ou estoniano. Achei que fosse me virar com algum “conhecimento” de escandinavo, mas não foi bem assim.
. Clima.
O sol é “frio”, esquenta lá pelo meio-dia, mas apesar de estar na costa do Mar Báltico, eu achei bem menos úmido que Estocolmo. Considere um verão onde você pode desfilar com uma jaqueta de couro sem passar calor. 😀
. Segurança.
Segurança e tranquilidade sim, sempre se lembrando de que turista é alvo fácil. Restaurantes e lojas fecham cedo, mas há baladas que varam a noite para quem quiser. Achei também que há polícia pra caramba nas ruas, em comparação com Oslo e Estocolmo.

Onde ficar.
Eu fiquei num Best Western Carlton próximo ao Atheneum e a estação de trem, tarifa bem razoável para Finlândia. Não sei se ela ainda trabalha lá, mas a recepcionista do hotel morou no Brasil e fala português com sotaque de paulista do interior.
O café-da-manhã, ou aamiainen é bem razoável, de frutas a pães e cereais, além de opções quentes. Mas já aviso que o café é horroroso.

O SIM Card.

Descobri que aquele chip que comprei na Suécia não funcionava em Helsinki. Perguntei onde poderia comprar um SIM Card para mais de uma pessoa e a maioria me respondeu que não era muito comum. Joguei no Foursquare um convenience store e descobri uma tal de R-Kioski, que é a versão finlandesa do 7-Eleven.
Lá eu comprei um cartão só para internet da Ohjopal, um finlandês extremamente eficiente que funcionava em todos os países nórdicos e bálticos, mais alguns da Europa ocidental e bem simples para fazer o top up. Para cinco dias, ele custava EUR 9.90.
Eu digo CUSTAVA e FUNCIONAVA porque descobri ao escrever o post que o site da Ohjopal deixou de funcionar dia 31 de dezembro de 2017. 😦
Como eu não falo finlandês e a tradução do Google não ajuda, não tenho a menor ideia se apenas o site saiu do ar ou se a Elisa, dona da empresa que era dona da Ohjopal assumiu as operaçoes.

O que ver e fazer.
Eu diria que três dias são suficientes para conhecer a cidade e um deles ainda seria para passar o dia na ilha de Suomenlinna. O free-walking tour pelo centro eu achei rápida, mas eficiente; cobre a Praça do Senado, Palácio Presidencial, o mercado aberto. Eu comprei um Helsinki Card, mas não sei se valeu a pena. Acho que deveria ter feito tudo a pé e ficado no Hop On/Hop Off, que eu já incluía os city-tour de ônibus e barco por EUR 35. A vantagem do ônibus é que ele leva a “partes distantes” da cidade, como o estádio Olímpico – que estava em reforma – o porto onde estão ancorados os icebreakers e a Ópera. Muitos museus, mas eu preferi tomar sol no parque e ficar pelos bares e restaurantes da orla no fim do dia. Não perca tempo na roda gigante; a volta deve ter uns dez minutos e não me impressionou.

IMG_2106

Ruínas da fortaleza de Suomellina

A ilha de Suomenlinnaé onde fica a fortaleza e  pessoal vai para fazer pic-nic. Há museus, as ruínas da Fortaleza – que são de tirar o fôlego – e o Lelumuseo , o museu do Brinquedo – que eu achei meio assustador.

Onde gastar.
A moeda é o EURO, e o custo de vida é elevado, bem mais que na Suécia.  Há muitos finlandeses que moram na Estônia e fazem commute para trabalhar em Helsinki, então… Fui “informada” de que eles não esperam gorjeta. Eu deixava mesmo assim...
O Design District Helsinki, em Punavuori tem de objetos de decoração a roupas, é uma espécie de shopping center com várias coisas descoladas. Claro que há lojinhas armadilhas de turistas, mas é só fugir do miolo da região. O que desanima é o preço, mas se você gostar muito de alguma coisa, compre e se vire para carregar depois.
As joias e bijoux de prata são de enlouquecer. O preço pode não ser muito atraente, mas é tudo bem descolado. Há lojas e há as bancas na feira de Kauppatori. Reparei que as etiquetas de uma certa loja de roupas trazem um “preço Finlândia” – em média, um Euro mais caro – e um preço Estônia, por exemplo. Atenção: o Tax Refund é diferente de todos os países pelos quais eu já passei. Se você o solicitar – mínimo de 40 euros – a mercadoria será lacrada e você só poderá abri-la após sair do país. Honestamente, acho que só vale para quando você pega um voo intercontinental, porque na balsa de Helsinki para Tallin, ninguém verificou minhas compras. Mas não custa avisar.

Comer é preciso.
Os restaurantes não são baratos e para variar, me empanturrei de salmão e camarão, mas descobri que eles adoram um self-service ou restaurante por quilo.
O Robert´s Coffee é praticamente uma “instituição” finlandesa, o equivalente do Starbucks. e oferece um self-service a EUR 12,90 com bastante salmão, sopa e sobremesa.

Para finalizar…
Como eu disse, finlandeses são bem na deles. No verão, há o sol-da-meia-noite, mas no inverno, o mar congela e eles têm umas três horas de luz do dia, quando muito. Pretendo voltar para visitar a Lapônia um dia…

Sobre Anninha

Além de viciada em cultura pop, ainda resolvi bancar a mochileira depois do 40 - e comer pra caramba, já que é para isso que eu treino Crossfit. Divirtam-se!
Esse post foi publicado em mochilando depois dos 40, Viagens e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s