ENQUETE: A INDISFARÇÁVEL NATUREZA DO SER

A enquete é para pegar fogo.
Poderia um livro ter título mais perfeito que este? Estou falando d’ “A Insustentável Leveza do Ser”, de Milan Kundera.
Há dois dias atrás assisti novamente a versão cinematográfica. A história se passa durante e após a “Primavera de Praga”. O livro eu li quando tinha uns quinze anos e fiquei fascinada pela história – um retrato de como a invasão soviética acabou com a vida do triângulo amoroso do médico Tomas, sua esposa Teresa e sua amante Sabina. A Sabina inclusive, é uma das minhas personagens femininas favoritas, “Sabina e seu chapéu-coco”.
O filme, de mesmo nome foi uma produção americana, dirigida por Philip Kauffman, e trazia nos papéis principais o inglês Daniel Day-Lewis como o infiel Tomas, a sueca Lena Olin como a livre Sabina e a francesa Juliette Binoche, como a monogâmica e ingênua Teresa. Não que o filme seja ruim: ele é apenas médio, na minha opinião. A sensação que me deu foi de que o Philip Kauffman gastou a tinta na erotização do filme – a história por si só já é erótica – e esqueceu da parte política. E aí ficou aquela sensação de que eles tiveram que correr para acabar o filme.
Na história,  Tomas se casa com Teresa após uma paixão fugaz. Eles se conhecem rapidamente numa cidade do interior e do nada, ela aparece em Praga e do nada, passa a morar na casa dele.
Por outro lado, Tomas tinha um relacionamento com Sabina, antes de conhecer Teresa. Ela era a única mulher que o entendia: nunca se incomodou com seus romances ou as transas – como médico, ele simplesmente “examinava” todas as enfermeiras do hospital.
Quando ele conhece Teresa, seu relacionamento com Sabina sofre um leve abalo. E aí percebemos que a própria Sabina tinha ciúmes de Tomas – por mais que tolerasse seu comportamento, ela também o amava, de forma diferente. E mesmo casado, ele não para de pular a cerca. E Teresa tolera todas as traições porque ama Tomas e não tem mais ninguém.
Outro dia, eu e uma amiga perguntamos para um amigo nosso: “Por que os homens traem?”
E ele respondeu: “Sei lá, acho que homem consegue fazer sexo sem se envolver mais facilmente que a mulher”.
Como tenho amigos casados, solteiros, encalhados, resolvi fazer o circo pegar fogo. O voto é secreto, portanto, quero ver VOTOS.

E para finalizar, o trailer do fime:
watch?v=Cn5EIGlzbqY&feature=share.

Sobre Anninha

Além de viciada em cultura pop, ainda resolvi bancar a mochileira depois do 40 - e comer pra caramba, já que é para isso que eu treino Crossfit. Divirtam-se!
Esse post foi publicado em Cultura Pop e marcado , , , . Guardar link permanente.