SÓ CARISMA RESOLVE?

Com a intenção de assistir todos os filmes possíveis – além dos meus DVDs – tenho batido cartão no cinema desde domingo.
Há filmes que surpreendem, mesmo que o plot seja manjado.
Tempos atrás assisti sem muita pretensão “500 Dias com Ela” (500 Days of Summer, 2009). O enredo era meio manjado: um arquiteto que trabalhava como designer de cartões de presente conhece “a mulher da vida dele” que dá-lhe um pé no traseiro. Entretanto, eles mudam a maneira como vêem o amor depois desse romance. Mas o lance do filme é a narrativa, em flashbacks, onde se pode perceber nitidamente, quando o romance começa a mostrar sinais de cansaço – perceptíveis para quem vê de fora, imperceptível para o protagonista. Os atores, Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel, não eram tão conhecidos do grande público, o filme era de baixo orçamento, mas o roteiro bem amarrado e a direção afiada resolveram o problema. E claro, os dois atores tiveram química suficiente e estão excelentes nos papéis.
Hoje, assisti “Amizade Colorida” (Friends with Benefits, 2011). O título original é um jargão gringo para amigos que transam de vez em quando – e pelo menos dessa vez, a distribuidora acertou na tradução. Ao contrário de “500 Dias com Ela”, o roteiro não traz surpresas. Ok, a maneira como eles se conhecem é diferente dos outros filmes, mas o conteúdo é o mesmo. O que carrega o filme, surpreendentemente, é o carisma dos atores: o mais-rodado-que-taxi-de-aeroporto Justin Timberlake e a beldade ucraniana Mila Kunis. Aliás, o JT eu sei que dá conta do recado, mas a Mila tem me surpreendido cada vez mais – desde a Jackie da sitcom “That’ 70s Show”, ela andava apagadinha, com participações em filmes para a TV ou de baixo orçamento, um papel coadjuvante em “O Livro de Eli” (The Book of Eli, 2010)até aparecer como a rival da Natalie Portman em “Cisne Negro”. Ah! Ela também namorou o Macaulay Culkin por OITO anos – que é mais do que toda a carreira dele. Evil comment, I know.
Ela tem timing para a comédia e o JT, como eu já disse em post anterior, se bem dirigido, consegue atuações bem decentes. E é isso que leva o filme. Sem falar nas externas de New York e Los Angeles. E claro, atores experientes como a Patricia Clarkson, que interpreta a “slutty-mum” da personagem da Mila e o Richard Jenkins, que segura a barra como pai do JT.
Meninas: o JT é feinho, mas tem um tanquinho de fazer inveja a qualquer um.
Meninos: a Mila Kunis aparece 60% do tempo em lingerie, então, vocês não têm desculpas para não levarem as namoradas – a não ser que elas sejam ciumentas.
Em seguida, eu iria assistir a mais um filme da 35a. Mostra Internacional, mas achei o tema meio pesado e mudei de idéia: não estou a fim de ficar deprê!
E a propósito: “A Pele que Habito” (La Piel que Habito, 2011), estréia esta semana. Almodóvar e Banderas juntos depois de muitos anos! Este eu preciso ver, Almodóvar é Almodóvar!

Sobre Anninha

Além de viciada em cultura pop, ainda resolvi bancar a mochileira depois do 40 - e comer pra caramba, já que é para isso que eu treino Crossfit. Divirtam-se!
Esse post foi publicado em Cultura Pop, TV e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s