POTTERHEAD: PORQUE A J.K.ROWLING MERECE CADA CENTAVO

Como assumida “Potterhead” que sou, assisti a “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1” (“Harry Potter and the Deathly Hallows – Part 1”), a versão cinematográfica do último livro da série. Definitivamente, não é para crianças.
O que me leva a tentar “explicar” porque a J.K.Rowling merece cada centavo que pinga em sua conta bancária.
Quem leu, entende o que eu quero dizer. Qualquer um de nós ficou acordado até alta madrugada só para saber o fim da história.
Bom, eu nem me interessei por Harry Potter quando foi lançado. Só fui ler lá pelo terceiro livro, e porque uma amiga me empurrou o primeiro da série, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”.
Descontando-se o fato de que se passa no mesmo planeta Terra em que vivemos, só que num mundo paralelo, onde bruxos vivem como se o mundo real não existisse de fato e quem não é bruxo é  “trouxa”, a história recorre aos recursos básicos que interessam aos adolescentes: o garoto mal-tratado que tem um passado surpreendente, a CDF da escola, bullying…
“Mas Harry Potter é conto de fadas?”, vocês devem se perguntar.
A J.K. Rowling foi criticada por muitos educadores, psicólogos e outros intelectuais. Na opinião destes, crianças devem ler coisas sobre crianças. E Harry Potter é praticamente um livro adulto. Mas ela bateu o pé e provou que não há nada demais em contar uma história forte para crianças. E uma história que arrebatou milhares de adultos – mesmo sendo uma fantasia.
Então, deixem-me explicar porque eu acho essa autora sensacional.
* SPOILER ALERT: quem não quiser saber detalhes, não leia, pois farei um resumo dos sete livros *
1. “Harry Potter e a Pedra Filosofal”: Harry Potter é um menino de 10 anos que mora no armário embaixo da escada de seus tios, já que os pais morreram quando ele era bebê. Os tios odeiam o menino e ele ainda tem que aguentar o primo mimado. No dia de seu aniversário de 11 anos, ele descobre que não só é filho de bruxos que foram assassinados por um bruxo malvado como também é famoso no mundo bruxo porque foi o único a resistir ao feitiço da morte de “Você-Sabe-Quem”. Ele vai estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde resgata a Pedra Filosofal, a pedra da Alquimia que guarda o segredo da vida eterna e se livra de ser morto pelo mesmo bruxo que matou seus pais.
2. “Harry Potter e a Câmara Secreta”: no seu segundo ano em Hogwarts, ele encara “Você-Sabe-Quem”  novamente, mas se livra do perigo ao destruir um diário com um dente de “basilisco”, que é uma serpente fantástica que está sob o domínio de “Você-Sabe-Quem”. Este diário pertenceu a um bruxo chamado Tom Riddle, hoje conhecido como Lorde Voldemort, um bruxo tão cruel que os próprios bruxos só se referem a ele como “Você-Sabe-Quem” ou “Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado” ou o “Lorde das Trevas”.
Até aqui, tirando os feitiços do livro, como a “Poção Polissuco”, que tem a capacidade de “transformar” uma pessoa em outra, nada de anormal. O jogo de Quadribol também desafia as leis da física, mas gente, é ficção, então, parem de procurar pelo em ovo. Então…
3. “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”:  Azkaban é um “presídio de segurança máxima” do mundo bruxo e Sirius Black, considerado o culpado por entregar os pais de Harry a Voldemort foge da cadeia. A reviravolta se dá quando Harry descobre que Sirius é na verdade seu padrinho, e ainda por cima, inocente. Sem mencionar os Dementadores, que são criaturas que sugam a alma e a vida dos prisioneiros, levando-os a loucura.
4. “Harry Potter e o Cálice de Fogo”: neste livro, temos a primeira morte, a de um bruxo adolescente. Há o “Torneio Tribruxo”, que é uma competição entre as escolas de magia da Europa. Em função de uma traição que acontece no livro anterior, Voldemort retorna a vida.
5. “Harry Potter e a Ordem da Fênix”: até no mundo bruxo existe “conspiração”, e garanto que os adolescentes de hoje entendem isso muito bem. Harry e o diretor de Hogwarts, Dumbledore, insistem que Voldemort está de volta. Mas o Ministério da Magia os desmente e infiltra uma “inquisidora” na própria escola, cujo objetivo é desacreditar o diretor e fazer com que o mundo bruxo acredite que tudo segue na mais perfeita ordem. Então Harry decide ensinar a um grupo de alunos “Defesa Contra a Arte das Trevas”, já que o Ministério da Magia proibiu a prática de tais feitiços, limitando-os a livros que omitem detalhes. Alguma semelhança com o que se aprendia nas escolas na época da Ditadura no Brasil?
6. “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”: tradução infeliz de “HP & the Half-blood Prince”. É aqui que a J.K. Rowling põe a imaginação a toda. O tal Half-blood prince é o Príncipe Mestiço, filho de bruxo com “trouxa”. Mas Voldemort está de volta, disposto a matar Harry a qualquer preço, e ele só escapa devido ao sacrfício de Dumbledore para destruir uma das horcruxes. E os “Comensais da Morte”, os bruxos seguidores de Voldemort estão livres e destruindo o mundo como o conhecemos.
Peraí, Anninha? Horcruxes? Que coisa é essa?
Agora eu explico porque a J.K. Rowling merece todo o dinheiro que tem.
Essa mulher levou sete anos, que corresponde dos onze aos dezoito anos da vida de Harry, todos separados por histórias distintas que se passam durante os anos letivos de Hogwarts, para mostrar que tudo sempre esteve conectado. Como ela conseguiu isso? Não sei…
7. “Harry Potter e as Relíquias da Morte”: no último ano de Harry, Voldemort encontra-se praticamente com plenos poderes. A escola de Hogwarts está sob domínio do Ministério da Magia, que possui em suas fileiras seguidores de Voldemort. Harry e seus amigos fiéis Rony e Hermione (bruxinha 100% trouxa) são obrigados a viver escondidos, pois Voldemort e os Comensais da Morte estão atrás de Harry. Este livro é o mais sombrio de todos. Muitas mortes, muitas revelações… e a genialidade de uma mulher que vivia de seguro-desemprego e contava histórias para os filhos dormirem. Ela levou sete anos para explicar porque Voldemort quer tanto matar Harry. E só agora vocês entenderão o que são horcruxes.
Voldemort, quando dominava o mundo bruxo, se pôs a matar todos os bruxos que interferissem em seu caminho. Ao tentar matar Harry, enfrentou um “contra-feitiço” lançado por Lilly Potter, um encantamento de amor que evitou a morte de Harry, ao mesmo tempo que destruiu parte de Voldemort.
Voldemort então, dividiu sua “alma” em seis partes, ou horcruxes, cuja algumas foram aniquiladas durante os livros anteriores.
Difícil me lembrar de todas porque li os livros há tempos, mas na ordem, seriam essas:
1. O diário de Tom Riddle, destruído por Harry no livro 2;
2. O Anel dos Gaunt, destruído por Dumbledore no livro 6;
3. O Medalhão de Slytherin, destruído por Rony no livro 7;
4. A Taça de Hufflepuff, destruída por Hermione no livro 7;
5. O Diadema de Ravenclaw, destruído pelo Fogomaldito no livro 7;
6. A Serpente Nagini, destruída por Neville Longbottom no livro 7.
O que Voldemort não esperava é que, ao tentar matar Harry ainda bebê, o contra-feitiço roubou um pedaço de si próprio então, para matar Voldemort, seria necessário destruir a sétima horcrux:
7.
Harry Potter.
Mas para matar Harry, Voldemort precisa encontrar as “Relíquias da Morte”, que fazem parte de uma lenda sobre três irmãos que se depararam com a morte e fizeram um trato com o intuito de enganá-la.
i. A Pedra da Filosofal;
ii. A Capa da Invisibilidade, herança deixada por James (aqui no Brasil, Tiago) Potter para seu filho Harry;
iii. A Varinha das Varinhas, a varinha de Sabugueiro, a varinha mais poderosa do mundo e que esteve por anos com Dumbledore.
Harry descobre que é a sétima horcrux e decide se entregar a Voldemort em sacrifício. Só que o bruxo não sabe que ao matar Harry, ele matará a si próprio pois, para voltar a “semi-vida” em que se encontra, ele usou o sangue do próprio Harry (no livro 4).
Ainda assim, Voldemort usa a Varinha das Varinhas para matar Harry. Só que Harry, após a morte de Dumbledore é o legítimo dono da Varinha das Varinhas. Ao tentar matá-lo, o feitiço ricocheteia e mata Voldemort.
Isso é o um resumo resumidíssimo. Nem mencionei a quantidade de palavras que ela inventou para os feitiços…
Priori Incantatem! Semptusempra! Expelliarmus! Expecto Patronum! Alorramora! Estupore!
Os livros de Harry Potter com certeza nunca sofrerão o feitiço Avada Kedavra: a maldição da morte.

Sobre Anninha

Além de viciada em cultura pop, ainda resolvi bancar a mochileira depois do 40 - e comer pra caramba, já que é para isso que eu treino Crossfit. Divirtam-se!
Esse post foi publicado em Cultura Pop e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s